Associações comerciais em massa no primeiro encontro presencial desde início da pandemia

Na primeira reunião presencial desde o início da pandemia em março de 2020, pelo menos 80% das associações filiadas à Faciapes – Federação das Associações Comerciais e Empresarias do Espírito Santo participaram durante todo o dia, nesta quarta-feira (28), do encontro estadual realizado no auditório da entidade, na Enseada do Suá, em Vitória. E saíram com muitas informações de um pacote de novos serviços para oferecerem a seus associados para contribuir com a retomada do crescimento econômico.

Os representantes de 14 entidades de 12 municípios capixabas lotaram o auditório da Faciapes: Alegre, Guaçuí, Bom Jesus do Norte, Castelo, Cachoeiro, Marechal Floriano, Rio Novo do Sul, Mimoso do Sul, Santa Maria de Jetibá, Vitória, Vila Velha e Guarapari. O evento teve a participação de representantes da Confederação Brasileira das Associações Comerciais e foi prestigiado também por diretores do Sebrae, da Aderes e pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Tyago Hoffman.

O tema central do evento foi o aprimoramento da prestação de serviços das entidades classistas aos seus associados, oferecendo certificação digital, meios mais econômicos de pagamento digital e capacitação para enfrentar o novo modelo de negócio mundial, provocado pela pandemia de Covid, com ênfase nos negócios on-line.


As associações foram estimuladas também a serem facilitadoras de acesso de microempreendedores individuais, micro e empresas de pequeno porte às linhas de crédito lançadas pelo Governo do Estado para impulsionar a retomada econômica após as restrições de funcionamento durante a pandemia sanitária.


ÊXITO


O presidente da Faciapes, Arthur Avellar, comemorou o êxito do encontro e disse que o comparecimento maciço dos associados demonstra a disposição de incrementar o associativismo.
“Enfrentamos uma crise econômica mundial provocada pelos efeitos da pandemia e, nesse momento, mais do que nunca, é preciso que estejamos unidos para a recuperação de todos. Governo, Aderes e Sebrae reconheceram nossa capilaridade para levar à ponta os programas de apoio ao empresário. Foi uma agenda positiva importante para recuperar o ânimo dos agentes econômicos”, disse Arthur.


O secretário Tyago Hoffman falou da disponibilidade de R$ 170 milhões de linhas de crédito a partir de R$ 31 mil no Bandes, para pequenos empreendedores, com 12 meses de carência e 60 meses para pagar. “Os procedimentos são simplificados e a correção é apenas pela Selic. Se a taxa Selic passar de 4,5%, o governador Renato Casagrande vai ajustar o decreto para congelar essa tarifa. O interesse é na retomada da economia”, disse Tyago.


O evento foi prestigiado também pelo superintendente do Sebrae, Pedro Rigo, e pelo presidente da Aderes – Agência de Desenvolvimento do Espírito Santo, Alberto Gavini Filho. Ambos expuseram suas linhas de apoio para os filiados às associações, que conheceram também a possibilidade de adotar um meio de pagamento ACBRPay, com taxas mais atrativas para serviços mais amplos.


NOVO MODELO


Após o almoço oferecido na própria Faciapes aos participantes, gerentes do Sebrae expuseram os produtos disponibilizados pela entidade para parcerias com as associações comerciais e atualizaram os representantes presentes sobre o novo modelo de negócios que se estabeleceu na economia durante a pandemia, com crescimento de 72% nas compras online no primeiro trimestre de 2021, movimentando R$ 35 bilhões somente no Brasil em 78 milhões de operações de vendas e crescimento de 9,4% no tíquete médio dessas compras.
“As compras online vieram para ficar e são uma grande oportunidade de negócio para os pequenos empreendedores. Entretanto, é necessário que busquem capacitação, que estamos disponibilizando através das associações, pois mais da metade desses empreendedores ainda não utilizam as ferramentas de vendas digitais adequadamente”, disse Aline Zanoni Batista, gerente da Unidade de Relações Institucionais do Sebrae.


Outro serviço relevante que a Faciapes disponibilizou para os associados são os escritórios avançados das Câmaras de Mediação e Arbitragem, que o vice-presidente Luiz Ridolphi salientou ser uma alternativa ao fechamento de comarcas anunciado pelo Poder Judiciário no Espírito Santo. “O fechamento das comarcas não é o fim do mundo. Vamos, pela mediação, demonstrar que não precisamos do Estado para resolver nossas demandas. Esta é uma janela de oportunidade para a independência do setor empresarial”, disse Ridolphi.

JORNALISTA RESPONSÁVEL: José Caldas da Costa (DRT-ES 053/79)

FOTOS: Renata Paz 

FACIAPES

  • Abertos: 8:00h às 18:00h

    E-mail: secretaria@faciapes.org.br

ACE/ACS

ACE-VV

ACISG

ACS-ES

ENTIDADES VINCULADAS